Menu

Reserve Aqui os Manuais Escolares. Entrega gratuita até 31 de agosto!

Memórias de Peyroteo - Autobiografia de Fernando Peyroteo

Memórias de Peyroteo - Autobiografia de Fernando Peyroteo

Fornecedor
CULTURA
Preço normal
€22,00
Preço de saldo
€22,00
Preço normal
€22,00
Esgotado
Preço unitário
por 
IVA incluído.
EAN: 9789898886590

Num domingo de futebol, a 10 de março de 1918, nasceu em Angola, um dos avançados mais extraordinários de sempre da história do futebol, de seu nome Fernando Baptista de Seixas Peyroteo.
A sua história no Sporting Clube de Portugal começou a ser escrita a letras de ouro (entenda-se com golos), logo no seu primeiro jogo com a camisola verde-e-branca, em 1937, num particular com o eterno rival Sport Lisboa e Benfica em que marcou dois golos na vitória dos leões por 5-3. Iniciava-se, assim, uma história de golos, golos... e mais golos.

Fernando Peyroteo, conhecido como "O Tanque", foi uma verdadeira máquina goleadora detendo uma série de recordes praticamente inultrapassáveis. Ora vejamos: em apenas 3 jornadas consecutivas do campeonato nacional marcou 16 golos, o que constitui um recorde europeu. Mas não é o único! No pódio do maior número de golos num só jogo das principais ligas europeias, Fernando Peyroteo não só ocupa o 1º lugar com 9 golos, como também ocupa a 2ª posição com 8 golos.

Impressionante! Mas não tanto como ter (ainda hoje) a melhor média mundial de golos em jogos do campeonato com um total de 309 golos em apenas 189 jogos. Uma média de 1,6 golos por jogo difícil de superar e reconhecida pela Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol.

2018 assinala o Centenário desta figura ímpar e incontornável do futebol mundial, e que o Sporting Clube de Portugal nunca deixará que caia no esquecimento. Os golos acompanharam toda a carreira de Fernando Peyroteo, tornando-o no maior goleador português de todos os tempos com um total de 540 golos em 332 jogos oficiais. Uma verdadeira máquina de fazer golos!

Mas não foi só no Sporting Clube de Portugal que Fernando Peyroteo deixou a sua marca. Na Federação Portuguesa de Futebol também fez história: realizou 20 jogos com a camisola das quinas (marcou 13 golos), foi capitão e chegou a selecionador nacional. Um caso raro de serviços prestados a Portugal.

Retirou-se dos relvados com apenas 31 anos. O final foi demasiado prematuro, mas Fernando Peyroteo, que encheu tantos títulos das colunas de jornais de vários países, que foi bradado aos ventos por milhares de vozes durante centenas de jogos, que foi proclamado por emissoras de rádio portuguesas e estrangeiras, ficará a perdurar como recordação saudosa, como estrela brilhante que cintilou na história do futebol mundial. Faleceu com 60 anos, a 28 de novembro de 1978.